Informe-se sobre Coronavírus

Atualizado: Mar 14

As pessoas estão muito preocupadas, por isso a informação é a melhor forma de prevenção.


Ministério da Saúde disponibiliza ferramentas de comunicação sobre o Coronavírus

http://www.ans.gov.br/aans/noticias-ans/consumidor/5383-ministerio-da-saude-disponibiliza-aplicativos-sobre-o-coronavirus


Primeiro vamos entender a diferença entre surto, epidemia, pandemia e endemia. Fonte: educacao.uol.com.br.


Surto: acontece quando há o aumento repentino do número de casos de uma doença em uma região específica. Para ser considerado surto, o aumento de casos deve ser maior do que o esperado pelas autoridades. Em algumas cidades (como Itajaí-SC), a dengue é tratada como surto (e não como epidemia), pois acontece em regiões específicas (um bairro, por exemplo).


Epidemia: a epidemia se caracteriza quando um surto acontece em diversas regiões. Uma epidemia a nível municipal acontece quando diversos bairros apresentam uma doença, a epidemia a nível estadual acontece quando diversas cidades têm casos e a epidemia nacional acontece quando há casos em diversas regiões do país. Exemplo: no dia 24 de fevereiro, vinte cidades haviam decretado epidemia de dengue.


Pandemia: em uma escala de gravidade, a pandemia é o pior dos cenários. Ela acontece quando uma epidemia se espalha por diversas regiões do planeta. Em 2009, a gripe A (ou gripe suína) passou de epidemia para pandemia quando a OMS começou a registrar casos nos seis continentes do mundo. A aids, apesar de estar diminuindo no mundo, também é considerada uma pandemia.


Endemia: a endemia não está relacionada a uma questão quantitativa. Uma doença é classificada como endêmica (típica) de uma região quando acontece com muita frequência no local. As doenças endêmicas podem ser sazonais. A febre amarela, por exemplo, é considerada uma doença endêmica da região Norte do Brasil.


Não conseguimos imaginar como evitar uma pandemia, mas podemos fazer nossa parte em pequenos hábitos diários para tentar não contribuir com a proliferação.


O hospital Sírio Libanês dedicou uma página em seu site para informar as pessoas sobre o Coronavírus: www.hospitalsiriolibanes.org.br/coronavirus. Segue abaixo algumas informações sobre esta doença.


Em 31 de dezembro de 2019, a Organização Mundial da Saúde (OMS) foi alertada sobre vários casos de pneumonia na cidade de Wuhan, província de Hubei, na China.


Em 7 de janeiro, as autoridades chinesas confirmaram que a causa seria um novo tipo de vírus, de uma família denominada de Coronavírus.


Diante de uma epidemia como esta, as informações mudam de forma bastante dinâmica, diariamente. Dados atualizados sobre o número de casos e regiões acometidas podem ser acompanhados em tempo real neste link: gisanddata.maps.arcgis.com.


Os coronavírus são uma grande família de vírus, alguns tipos com circulação em humanos e outros tipos com circulação em animais, incluindo camelos, gatos e morcegos. O novo vírus adquiriu a capacidade de ser transmitido de uma pessoa para a outra, e há registros de casos graves, evoluindo para óbito.


Sintomas

A maior parte dos pacientes apresenta febre, tosse e falta de ar.


Tratamento

Até o momento não existe tratamento específico para este vírus. Os pacientes são tratados com medicações para alívio dos sintomas, e suporte de terapia intensiva quando apresentam dificuldade em respirar.


A Organização Mundial da Saúde (OMS) tem trabalhado com autoridades chinesas e especialistas globais para aprender mais sobre o vírus, como ele afeta as pessoas que estão doentes, como elas podem ser tratadas e o que os países podem fazer para responder a esta epidemia. Os países, incluindo o Brasil, têm instituído ações de vigilância nos aeroportos para tentar identificar pessoas que entrem doentes.


Prevenção

- Higienizar as mãos com frequência, com água e sabão ou álcool-gel, principalmente depois de tossir ou espirrar;

- Evitar contato direto com pessoas que apresentem sinais de infecção respiratória;

- Cobrir o nariz e a boca antes de tossir ou espirrar.


Até o momento, a Organização Mundial da Saúde (OMS) sugere que sejam evitadas viagens para a região da Província de Hubei, onde fica a cidade de Wuhan (China). Não existem recomendações para se evitar viagens para outras regiões do globo.

9 visualizações
  • Whatsapp
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Branca Ícone Instagram

(51) 9 9971-6195, grasielawelter@regenciamercurio.com.br, São Leopoldo / RS